8 de agosto de 2013

Resenha: Invisível ao Toque - Nat Bespaloff


Autora: Nat Bespaloff
Editora: Publicação Independente 
Ano: 2013
Páginas: 244

Sinopse: Atormentada pelas lembranças de uma relação amorosa que acabou mal, Svek, uma jovem de 20 anos e apaixonada por esportes radicais, foge de relacionamentos sérios e abomina tudo o que diz respeito a sentimentos. Enquanto isso, tem sonhos recorrentes e bastante vívidos com uma garota chamada Victória, em cuja pele se vê transportada a cenários de séculos passados, em situações de extremo perigo. Nesse momento de confusão, Svek conhece o enigmático Zac, que consegue despertar nela pensamentos até então inexistentes. Ela acaba descobrindo o amor na figura de uma pessoa estranhamente familiar. Um sentimento transformado em uma maldição que resistiu aos séculos, em que a despedida e a renúncia representam o maior gesto de compaixão e coragem. Invisível ao Toque é uma história intensa, romântica, emocionante e, ao mesmo tempo, divertida, graças a habilidade com que a autora consegue imprimir o seu estilo bem-humorado em diálogos e pensamentos.


Terminei a leitura de "Invisível ao Toque" um pouco antes do fim de julho, mas sabe quando você ainda está procurando palavras para poder expôr a sua opinião? E sabe quando você não as encontra totalmente, tamanha é a sua paixão e elogios para o livro? Pois é, é assim que estou me sentindo desde que virei a última página dessa história incrível!
Ainda não sei bem se vou conseguir colocar totalmente em palavras o que essa leitura me proporcionou, mas espero conseguir \o u_u

"Não tinha o porquê de pular da cama, nada me fazia explodir de alegria. Quisera eu inflar o coração como o milho da pipoca ao estourar. Um coração que infla nunca mais volta ao seu tamanho original, e isto não é mal de Chagas, é mal de amor." 
(Página 13)


É meio difícil resenhar esse livro sem soltar nenhum spoiler, mas acho que podemos dizer que muito da história acontece a partir da "teoria" da reencarnação.
Gostei muito da história envolver essa tema/teoria (?) , pois foram poucos livros que li abordando o assunto, e mesmo sendo trabalhado de uma forma clichê, o modo que a autora colocou e abordou na história foi bem único e envolvente.

A narrativa de "Invisível ao Toque" é muito gostosa de acompanhar. É narrado em primeira pessoa, mas a partir da metade da história mais o menos a autora trabalhou com a narrativa alternada entre o Zac e a Svek. Achei isso um ponto muito positivo, pois no momento que a narrativa começou a intercalar era em uma situação que conseguiu me deixar extremamente curiosa! E nada melhor do que saber o ponto de vista dos dois personagens, né? Sem falar que eu amo narrativas masculinas <3 *u* asudhsauhdiuahsuhdiahsiud
Outro ponto positivo é que a autora soube trabalhar muito bem com a narrativa em primeira pessoa. Não ficou cansativo ou tedioso, sabe? Ela conseguiu deixar os personagens tão íntimos do leitor, que diversas vezes eu me peguei na pele da própria Svek aaaah, quem me dera *u* kkkk u_u. É aquele tipo de coisa que parece que a personagem está falando na sua cabeça, sabe? Além de ser uma narrativa extremamente engraçada que conseguiu me arrancar altas gargalhadas em plena madrugada u_u

"- Se imagine diante de uma mesa lotada de comida que você gosta, sabendo que a partir de amanhã ficará uma semana sem poder comer, jejum total. O que você iria fazer?
- Lógico que iria comer o máximo que conseguisse - respondi.
- Certo, agora imagine que você irá morrer um dia, mas antes lhe dão uma vida na qual você pode fazer o que gosta até chegar o momento de morrer...
- Gosto de dormir - interrompi. - Devo dormir até morrer então? - arqueei as sobrancelhas." 
(Página 35)


"- Svek... - continuou - Sabe quando a gente olha para um lago? Sei lá, normalmente procuramos algum tipo de vida nele, nem que seja um girininho. E... é a mesma coisa. - Parou para refletir. - Quando... quando te olho faço a mesma coisa.
- Procura por girino?
- Por vida." 
(Página 38)

Os personagens foram muito bem construídos, e uma coisa que eu gostei muito é que eles são personagens "reais", sabe? Não são pessoas perfeitas, que possuem a personalidade cem por cento boa ou então cem por cento ruim. Todos possuem lembranças de situações agradáveis e outras de situações nem tão boas assim. Eles são humanos, com defeitos e qualidades, com bondade e maldade, malícia e inocência. Gostei muito disso, pois mesmo a história tendo o seu "que" fictício, nós ainda temos esse pé na realidade.

Sem dúvida alguma a Svek entrou para o meu top personagens preferidas! Sabe aquela personagem que te ganha desde o primeiro momento? Pois é. A personalidade, o modo de pensar e agir, e quase tudo nela fizeram com que eu me identificasse muito com a Svek! Nunca tinha tido essa experiência, a ponto de pensar que a personagem é uma versão literária/fictícia/melhorada da minha pessoa u_u shaudihausdhhasdiahsiud.
Zac é outro que entrou para os favoritos. Nunca conheci um cara tão engraçado, doce, fofo e másculo ao mesmo tempo. Sabe aquela idealização do homem perfeito? Então, é bem por aí u_u asdhaushdiuashdu.
O que eu mais gostei foi o modo que a autora trabalhou no amadurecimento dos personagens. É muito prazeroso acompanhar a evolução dos dois, tanto como pessoas quanto como um casal. A cada capítulo era notável o avanço de cada um, o modo como um foi mudando o outro... melhorando. Realmente gostei desses dois juntos u_u.

"- Tenho medo de você - eu disse. Isso o fez me encarar, a fisionomia surpresa. - Medo de quem sou ao seu lado.
- E quem você é ao meu lado?
- Completa." 
(Página 164)





"- Não, Svek, não é apenas brilho nos olhos, é... Sorriso nos lábios. Você exala alegria.
- Exalo alegria? - Cheirei debaixo dos braços. - Acho que comprei perfume errado, era pra exalar...
- Svek - interrompeu-me. - É sério" 
(Página 86)

Todos os personagens foram muito bem trabalhados e gostaria de falar de cada um deles, mas além de deixar a coisa ainda mais extensa, eu acredito que soltaria algum spoiler em relação a determinados personagens, então eu deixo o mistério quanto a eles. Vou me limitar a falar somente de mais uma: Morgana.
Admito que não fui muito com a cara dela em grande parte na história ok, basicamente no livro inteiro ~.~ mas ela realmente conseguiu me surpreender. Quando você vai avançando na leitura, até o ponto de virar a última página, a sua visão a respeito dela vai mudando. Você vai analisando melhor as atitudes da personagem e vai notando que no fim das contas, ela não era essa megera que tinha em mente u_u. Realmente gostei dela no final das contas, e acho que merecia um livro exclusivo para a história dela <3 #fikdikNat (; kkkkkkkkk

Como eu disse no começo da resenha, a história envolve o tema/teoria (?) da reencarnação, e devo dizer que isso me causou uma certa confusão em determinado momento. Quando a história presente começa a se relacionar com os sonhos que Svek tem a coisa dá uma complicada, e confesso que minha cabeça deu um nó em um primeiro momento u_u.
Conforme você vai lendo, é meio inevitável não ir formando teorias e ir relacionando a história no presente com os sonhos da Svek, mas chega em um determinado ponto que você começa a prestar mais atenção nos detalhes e estabelecer uma relação mais atenta com os fatos, personagens e situações. Isso foi ótimo, pois tornou a leitura ainda mais interessante e impossível de largar antes de sua conclusão. A princípio eu me enrolei toda, mas depois a coisa ficou mais fácil de entender u_u asuhdasdiuhashudihasid.
Nesse ponto onde os sonhos e o presente começam a se relacionar, você começa a se perguntar se as relações e teorias feitas até então estão realmente certas... Sabe quando a história não chega a dar AQUELA reviravolta, mas com uma reboladinha de um personagem aqui, outro ali, e um ou outro parágrafo você para e pensa: "Puuuuuts! Não creio!" e todas as suas teorias vão por água a baixo e você começa todas elas do zero? Então, foi exatamente isso que aconteceu. Todos personagens que eu pensava que eram a reencarnação de fulano, ou acontecimentos que eu pensava que estavam se repetindo ou coisas assim, tuuudo, eu mudei minha opinião em um piscar de olhos. A habilidade da autora realmente me surpreendeu nesse ponto, pois são poucos autores que conseguem fazer isso com a mente de um leitor... pelo menos com a minha mente u_u asudhaiushdiahsduiasd.


"- A morte pra mim... não é o fim, é um adeus. Não adeus de até nunca mais, mas do tipo... - encurvou os lábios para baixo ligeiramente - Quem sabe até outro dia? - Parou, talvez para estudar a minha expressão; em seguida desviou o olhar para a parede, matutando. - É como se você estivesse lendo um livro e, do nada, alguém arrancasse esse livro de suas mãos e lhe entregasse outro, com história e personagens totalmente diferentes. Então - encarou-me - , é melhor você ler o maior número de páginas que puder, pois esse livro tem data de entrega e será arrancado de você mais cedo ou mais tarde." 
(Página 124)





"Seus dentes pareciam milimetricamente encaixados um ao lado do outro, sem falhas, sem alface no vão entre eles. Perfeitos. "Com certeza, é dentadura". Não queria criar uma imagem de homem perfeito na mente; ele não era. Não queria que fosse." 
(Página 67)

Chega em um ponto da história que eu fiquei tão aflita que, pela primeira vez na vida, eu chorei lendo um livro. Pois é meu povo, meu coração de pedra conseguiu ser amolecido. Ok, não chorei que nem bebê, mas foi uma mistura tão forte de sentimentos e emoções, que meu lindos olhinhos arderam e foi inevitável soltar uma lágrima ou outra.

A autora conseguiu trabalhar na tensão da história, dos personagens, e pegar legal na parte emocional do leitor. Nesse ponto, muitas reviravoltas acontecem, e mesmo você imaginando o final e falando "não, é assim que vai acabar. É isso que vai acontecer, e não aquilo" é inevitável a sua linha de pensamento não formular uma outra hipótese para o fim da história, já que o surgimento de outro personagem e a história que vem com ele muda drasticamente o rumo das coisas. Mesmo você notando que a relação que se estabelece entre determinados personagens é meio superficial e super instantânea ou seja, sem futuro... no meu ponto de vista, é impossível não ter aquele medinho de certos acontecimentos, além da aflição de querer saber o que realmente vai acontecer em seguida.

A Nat sem dúvida me pegou de jeito com essa história, e com certeza o lado emocional foi o que predominou durante a leitura. Foram diversos os momentos em que parei para refletir sobre o último parágrafo lido e do efeito que teve em mim. Sabe aquele tipo de livro que, mesmo não sendo auto ajuda ou coisa do tipo parece ter sido escrito pra você? Então, foi exatamente isso que senti e talvez tenha sido por isso que me emocionei tanto, além da história ter me marcado muito.

"O sol acariciava o rosto, enquanto os ruídos das folhas nas árvores e das águas funcionavam como uma orquestra para os ouvidos. Fiquei por um bom tempo desfrutando dessas sensações. Essa calmaria me fez ter vontade de chorar, e assim eu o fiz. É o que costumo fazer: chorar sozinha para disfarçar fraqueza. Egoísta com minha dor, gosto de senti-la sozinha, sem dividi-la com ninguém.
Sentir o coração doendo também é viver." 
(Página 31)





"- Se alguém te desse uma passagem para o inferno você iria?
- O quê? - Dei de ombros. - Mas o que isso tem a ver com a história?
- Entenda que qualquer lugar que eu vá longe de você é inferno pra mim. Não posso aceitar esse convite pra ir embora, desculpe. - Sorriu. - Gosto do paraíso." 
(Página 96)

Quanto ao trabalho gráfico do livro, não tenho nem oque dizer. Como deu pra perceber pelas imagens, o livro é todo trabalhado no glamour #TioLiliFeelings kkkkkkk e é muuuito lindo! Seja na capa, na parte posterior que eu sempre me esqueço do nome onde fica a sinopse, a cada início de capítulo ou até mesmo nas primeiras páginas. Tudo muito caprichado e de arrancar suspiros, tanto do público feminino quanto masculino, né? (; kkkkkkkkkkkk.
E quanto a revisão, também não tenho muito do que reclamar, já que encontrei somente alguns errinhos de revisão, mas nada que atrapalhasse no entendimento da história.

É o tipo de romance meio meloso, mas que não deixa de ser extremamente intenso. Com momentos que te farão parar pra pensar e refletir, além de te causar diversas emoções. A Nat conseguiu me envolver com cada pequeno detalhe da história, da narrativa, dos personagens com seus defeitos e qualidades. Eu sei que a resenha pode ter ficado um pouco confusa, mas é algo que sempre acontece quando vou falar de algo que gostei muito ><. Sem dúvida essa foi não só a minha melhor leitura do mês, mas entrou para as melhores do ano... da vida. Recomendo imensamente a todos!

Como "Invisível ao Toque" se trata de uma publicação independente, a única forma de adquiri-lo é com a Nat u_u. Então, quem tiver interesse em se aventurar nessa história incrível, é só entrar em contato com ela através do site (aqui) ^-^

"Ele já faz parte da minha história, como se o mundo tivesse encolhido, pois, de certa forma, tudo tem se resumido a ele. Na mesma proporção dessa diminuição, como numa ampulheta, as sensações de satisfação e alegria aumentam. Por mais que, precisamente hoje, tenha vontade quase incontrolável de espancá-lo, a satisfação me acompanha apenas por me permitir sentir seja lá o que for por alguém. É revigorante encontrar a perfeição. Mesmo que o perfeito seja torto, quebrado, arranhado, esquisito... Porque, de um jeito ou de outro, essa imperfeição é perfeita pra mim.
Sim, ele é perfeito pra mim." 
(Página 86)

10 comentários:

  1. Olá Rafaa :)

    Recebi esse livro esses dias, de parceria com a Nat tbem (xD) e, estou louca para ler!
    Sua resenha, como sempre foi ótima, aumentou ainda mais minha vontade de lê-lo!
    Haha como vc mesma disse, ô saúde, né não? O trabalho gráfico é realmente ba-pho-ni-co, melhor até do que o de muitas editoras por ai u_ú

    Logo logo pretendo começar minha leitura, e espero gostar, tanto quanto vc :)

    Beijos

    Mari.

    http://www.quinzeprimaverasescritas.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Mari, tudo bom? *---*
      aaaah, que legal! *u* E tem como não sentir vontade de ler, com uma capa tão linda e a sinopse tão instigante? *-*
      Awwwwn, muito obrigada! s2 fico feliz que minha resenha tenha causado esse efeito u_u asdhaushdiuasiudiuasd.
      SIIIIIIIIIIIIM! E põe saúde nisso u_u kkkkkkkk. Também achei incrível, e concordo totalmente! Deixou muitas editoras no chinelo u_u

      Espero que se surpreenda e emocione tanto quanto eu. Tenho certeza que você vai gostar benzitcho! ^-^ . Não deixe de me dizer o que achou, hein? u_u

      BEEEEEEEEEEEEEIJINHOS E VOLTE SEMPRE! :* <3

      Excluir
  2. Oi Rafaa! :D
    Parece ser um romance bem interessante, ainda mais por tratar os personagens de forma "real", como você disse, cada um tem seus defeitos e qualidades. Acho isso muito importante, pois nos mostrar que o amor é possível independente de qualquer coisa.
    A gráfica do livro é, de fato, maravilhosa! Me apaixonei pela capa, que por mais estranho que pareça me transmite muita emoção, talvez as cores nos faz sentir isso.
    Quando entrar na fase romance vou colocar esse livro na lista. No momento estou fugindo de coisas melosas. hahaha :P

    Beeeijo
    http://criandorabiscos.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Mel! Tudo bom? (((:
      sim sim! Esse foi um ponto muito positivo - na minha opinião - na história, e acho que só fez com que eu gostasse ainda mais! *u*
      Siiiiim! A capa é mega linda! De estranha eu só achei a menina que, por mais que esteja de costas, não parece em nada com a Svek u_u mas ainda assim, tem total relação com a história! *.* . Achei uma ótima seleção de cores e concordo com você, creio que elas tenham ajudado a transmitir emoção ^-^
      Aaah, eu te entendo! sauduahsdiuhasiuduiasd. Mas coloque sim! Tenho certeza que a história te conquistará! (;

      BEEEEEEEEEEEEEEIJINHOS E VOLTE SEMPRE! :* <3

      Excluir
  3. Oi linda..
    Acabei de ver a sinopse deste livro em outro blog e amei.
    Fiquei com muita vontade de ler e depois de sua resenha então me animei mais..rs
    Ficou ótima sua resenha com estas fotos. Amei.
    Parabéns.

    beijos
    livrosvamosdevoralos.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Leticia, tudo bom? ((:
      aaaah, que bom saber disso! *---*
      awwn, muito obrigada s2 , fico feliz que tenha gostado ^-^

      BEEEEEEEEIJINHOS E VOLTE SEMPRE! :* <3

      Excluir
  4. Oii, muito obrigada por seguir o blog, viu? *-* e desculpa pela demora pra responder seu comentário. Fico feliz que tenha gostado da coluna e também te desejo uma ótima semana.
    Sobre o post, eu já tinha dito na sua Caixa de Correio que achei a capa linda, e ele é lindo por dentro também! Achei os quotes que vc escolheu muito fofos, e a própria autora tb tanto na dedicatória a você quanto nos agradecimentos. Fiquei com muito vontade de ler o livro, até pq me interesso por coisas de Espiritismo
    bjs
    felicidadeinventada.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Mah! Tudo bom? [[:
      Ah, imagina! ^-^

      Mega caprichado né? ainda estou babando com tanta beleza *u* . Que bom que gostou da minha seleção n__n. Siiiim! A autora é um amor! *--*
      Fico feliz em saber que eu consegui despertar a sua curiosidade u_u usdhiuashdiuausid. Leitura mais que indicada (;


      BEEEEEEEEEEIJINHOS E VOLTE SEMPRE! :* <3

      Excluir
  5. Que livro lindo! A capa dele eu achei mto linda, e pela sua resenha parece que a história também é ótima! Parabéns pelo blog, é mto lindo! Já estou seguindo e vou acompanhar!
    Beijo!
    http://booksmanybooks.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É lindo, né? Eu sempre fico babando quando pego ele na estante *o*
      Sim sim, a história consegue ser ainda mais linda e surpreendente que a capa. Super indico! (;
      Muitíssimo obrigada! Espero que goste daqui ^-^

      BEEEEEEEEEEEEIJINHOS E VOLTE SEMPRE! :* <3

      Excluir


A opinião é livre, não pode nem deve ser violentada.
(Baltasar Gracián y Morales)