14 de junho de 2013

Resenha: Cores de Outono - Keila Gon

 
Autora: Keila Gon
Série: Cores (vol. #1)
Editora: Novo Século
Ano: 2012
Páginas: 437

Sinopse: O inesperado, o impossível, o destino...
Quem ama escolhe seus caminhos, vence o medo, ultrapassa a razão, duela com a dúvida entre o certo e o fácil para seguir o seu coração. Melissa encontrou em um olhar as revelações de toda uma vida e longe da lógica escolheu o caminho confuso, mas surpreendente do amor.
Ela chegou a pequena cidade da montanha com a responsabilidade de cuidar de Alice, sua irmã caçula, esperando uma vida simples. Mas se viu envolvida por Vincent, um estranho arrogante, dono de irresistíveis olhos turquesa que vai levá-la através da sombra e da luz para revelar surpresas inimagináveis de um Mundo Mágico perigoso e fascinante.
A cada encontro este homem misterioso amedronta e encanta; desperta sentimentos e a faz duvidar de sua coragem. Mas, antes que Melissa seja arrebatada por esse amor, ela precisa enfrentar elfos, magos e intrigas em uma realidade inóspita que testará seu coração.

Já era pra essa resenha ter saído na semana passada, mas como foi o meu aniversário (no dia 4 *u*) vocês já imaginam a correria né? Junte isso com a bagunça de provas e trabalhos da escola nessas últimas semanas e mal deu tempo de acessar o blog, que dirá escrever a resenha T^T. Mãaas, finalmente, cá estou para lhes dizer o que achei de "Cores de Outono", primeiro volume de uma trilogia que vai ganhar o coraçãozinho de quem curte romances fantásticos *-*

Já vou logo de cara dizendo que, sem dúvida alguma, eu AMEI o livro! Sim, a-m-e-i com direito a todas as letras u_u asdhiuahsidhasiudhasd. Mas também já vou deixar uma ressalva logo no começo da resenha... Eu sei que fazendo isso o livro pode vir a perder alguns leitores, mas como eu sempre busco ser o mais sincera possível no que escrevo, tenho que me manter fiel a isso. Tenha em mente que, se você não curtiu muito o romance morango com chantilly de "Crepúsculo", provavelmente "Cores de Outono" não irá te agradar tanto assim \: . 

"Estava surpresa comigo mesma, não era minha frustração pela conversa improdutiva com Vincent a causa do choro incontrolável. Sentia raiva sim, mas também outras sensações perigosas. Uma salada de sentimentos atordoantes que estavam me sufocando, empurrando as lágrimas que não paravam. Eu estava... atraída por esse homem! E as lágrimas tinham uma razão, porque essa atração era impossível." (Página 103)

Não, não temos vampiros que brilham ou toda aquela coisa crepusculesca envolvida em "Cores", até porque, cada livro é um livro né? aaaah vá! Mas nós temos aquele mesmo romance meloso e açucarado que a titia Meyer nos apresentou em "Crepúsculo". Isso foi um ponto negativo na leitura? definitivamente não. Não tenho nada contra romances açucarados, desde que sejam bem escritos, o que sem dúvida alguma se encaixa no relacionamento da Mel e do Vincent *-*

"(...) Concluí que "forças sombrias" do universo se divertem com minhas humilhações, por isso elas se repetem. Como se eu fosse um bobo da corte e essa força um fã do humor negro. Assim, o "Caos da Minha Vida" é baseado na necessidade de divertimento de alguma força inexplicavelmente sombria do universo.
Fiz uma careta para a conclusão confusa do meu discurso e ri.
- Acho que as "forças sombrias" têm mais o que fazer - ele concluiu com um sorriso debochado." 
(Página 143)

A autora soube construir muito bem os personagens de "Cores", além de ter dado personalidades bem distintas uma das outras, o que tornou a leitura muito gostosa e divertida. 
Outro ponto positivo (na minha opinião u_u) quanto aos personagens é que eles, além de liiiindos, são altos!
 
Sério gente! Vocês nem imaginam o quanto eu fiquei feliz quando vi que os dois personagens mais lindos do mundo são gigantes, awwn *u*. Ok, isso é meio que um surto particular graças ao trauma da minha altura e a baixa estatura dos caras de hoje em dia u_u mas eu supero \o kkkkkk.

Fiquei meio indignada da Keila criar dois personagens tão lindos e incríveis, já que nós sabemos que no final a Mel só pode ficar com um ):
De um lado temos Arthur, com todo o seu jeito brincalhão e sarcástico de ser, ele é como se fosse o dia... com seus lindos cabelos loiros e olhos dourados. Admito que ele me irritou em determinados momentos do livro, mas é impossível não se apaixonar pela personalidade dele! Descontraído e brincalhão na maioria das vezes, me lembrou muito a despreocupação das crianças, sempre querendo se divertir e nunca se preocupando com nada... Mas ele também soube me surpreender, pois quando queria conseguia mostrar o seu lado "homem" da coisa e te arrancar suspiros *u*
Do outro lado temos Vincent, com todo seu jeito bad boy e uma pitada de galã de filmes antigos, ele é como se fosse a noite... com seus cabelos negros e olhos imprevisíveis, sempre misterioso e muito sedutor. Ele é aquele tipo de anti-herói que sempre ganha o nosso coração. Mesmo com suas variações de humor constantes, e até mesmo o seu jeito meio rabugento de ser, é impossível não desejar um cavalheiro carrancudo desses pra si mesma <3 *-*

"(...) A sensação de prazer e alívio ao vê-lo foi desconcertante e mais desconcertante foi a imagem de seus braços me apertando em um abraço quente, de preocupação e proteção. Ainda sentia essa sensação de calor e proteção, mas o vazio polar logo me dominou. O vazio do meu coração gelado. Sentei na cama e abracei meus joelhos, tinha vontade de chorar compulsivamente. Foi só um sonho e percebi que esse era o problema. Eu queria que aquele sonho fosse real." (Página 124)




Opostos como dia e noite, mas igualmente apaixonantes, são esses dois que, juntos a Melissa, formam o triângulo amoroso da história.
O que me agradou é que a Mel não é aquele tipo de personagem "mole" que estamos acostumados a ver na literatura fantástica quando envolve um triângulo amoroso. Ok, ela possui os seus momentos de fraqueza e tudo mais, mas tirando a sua grande facilidade para chorar, eu posso até dizer que ela é uma personagem forte. Além de ser engraçada com o seu temperamento de pavio curto e sua personalidade, ela é uma mulher orgulhosa e que não dá o braço a torcer tão facilmente... o que proporcionou muitos momentos divertidos, já que ela e Vincent eram como cão e gato (e quem não adora uma relação de amor e ódio, nénão? u_u shduahdiuahsiudds)

"- Passei a tarde toda aqui! - exclamei admirando a vidraça escura. - George já deve ter voltado para casa e não avisei para onde iria... muito menos que iria demorar. Não deixei nenhum bilhete! E se conheço meu avô, ele está preocupado... e furioso! - balancei a cabeça, imaginando o sermão que ouviria em casa. - Ele não vai acreditar que dormi, Vincent... principalmente quando disser que estava com você.
Encarei Vincent com um olhar de duplo sentido e alisei minha camiseta amarrotada com as mãos.
- Vou ter de me esforçar para agradar George depois dessa - disse, compreendendo meu dilema." 
(Página 328)

Existem diversos outros personagens que gostaria de falar a respeito, mas o post ficaria enorme T^T então, vou me contentar em falar de mais um: Alice. Geeeeente do céu, o que era essa fofura?? *u* é simplesmente impossível não se apaixonar pela sua inocência e jeitinho meigo de ser! *-*

"(...) - Você já disse para eu não falar com gente estranha. Mas o Vincent não é um estranho... Ele é o gigante que brilha.
Claro... ele... Ah! Então... Vincent era o gigante que brilha! Pisquei algumas vezes, minha lucidez pulsando por um fio. Pelo visto, teria que ser mais específica ao exemplificar os tipos de estranhos que não deveriam se aproximar da casa." (Página 317)



Um ponto muito positivo para mim foi a fluidez da narrativa. Estava com medo de me deparar com uma escrita confusa ou até mesmo enfadonha, depois da decepção que foi o meu primeiro "contato" com a literatura nacional contemporânea (resenha aqui do livro que estou falando), mas devo dizer que foi uma grata surpresa descobrir que não são todos autores nacionais que "cometem esse erro". 
Além de uma narrativa divertida e leve nos momentos e doses certas, a autora conseguiu despertar a curiosidade do leitor logo no começo da história, já que tem todo um mistério com os acontecimentos tanto do passado como do presente, o que te leva a fazer zilhões de suposições e torna quase impossível largar o livro.

Pra mim foi um pouquinho difícil visualizar alguns cenários da história, já que a minha imaginação já está "acostumada" com os cenários americanos e ingleses, e em "Cores" temos um cenário brasileiro. Porém, foi uma experiência totalmente nova acompanhar um cenário tão natural como o desse livro. A natureza é algo tão presente no cenário da história que é impossível não sentir a paz e tranquilidade que ela transmite *-*.

"- Não me importo com o que eles pensam, ou falam... não mais. Eles já acham que sou uma bastarda órfã com instintos suicidas. - O que podem agregar a isso? Um romance com o homem mais intimidador da cidade?
Vincent levantou uma sobrancelha e apertou os lábios montando seu sorriso charmoso. Eu quase avancei para beijá-lo de novo.
- Realmente, formamos um casal interessante (...)" 
(Página 305)



Também gostei da relação familiar que temos na história. A relação entre o George, a Mel e a Alice foi muito gostosa de acompanhar, já que eles possuíam uma união e amizade tão bonita e rara hoje em dia, principalmente quanto ao George e a Mel, já que eram como pai e filha, e como tal, existia o devido respeito entre eles. Realmente gostei disso na história.

Como nem tudo são rosas, tiveram duas coisas que me incomodaram um pouco...
A primeira foi a "distribuição" da história. A autora poderia ter aumentado o número de páginas do livro para distribuir melhor os acontecimentos bombásticos. Até um certo ponto do livro a história segue um ritmo constante, porém, em um determinado ponto parece que tudo de mais uau e incrível acontece de uma vez, sem nem dar tempo de você respirar.
E a segunda foi o modo do Vincent agir a partir de um determinado ponto da história. Ok, é compreensível, mas não deixa de ser irritante e por vezes até mesmo cansativo o pensamento do Vincent quanto a ser ou não uma boa escolha para a Mel, sempre se sentindo péssimo por tê-la envolvido no mundo perigoso dele. Estamos acostumadas a ver mulheres inseguras quanto a um relacionamento, mas essa foi uma das primeiras vezes que vi isso acontecendo com um  homem... Enquanto a Mel estava completamente segura de si e de seus sentimentos, ele ficava lá se torturando com as possibilidades. Como eu disse, é compreensível, mas não deixa de ser chatinho \:

"Por um breve segundo fitei os olhos dourados de Arthur e tive medo de ter feito uma escolha errada. E então, pisquei com o pulo que meu coração deu em meu peito. Ele me lembrou que a escolha desse amor foi dele e que este sentimento sempre seria mais forte do que a razão. E esse amor também me escolheu... há muito tempo. Meu amor e eu estávamos destinados a ficar juntos e essa era uma certeza que martelava meu peito, sanando todas as dúvidas. Isso era o certo, e o certo nunca seria fácil." (Página 346)


Como eu já disse no começo do post, é impossível não fazer uma analogia entre "Crepúsculo" e "Cores de Outono". Não só o romance meloso, mas existem diversas situações e acontecimentos que nos remetem "Crepúsculo". Não, não estou dizendo que a Keila copiou a história de "Crepúsculo", longe disso. Mas eu diria que a "estrutura" do relacionamento da Mel com o Vincent e alguns personagens e acontecimentos que partem dessa relação, se assemelham muito com a relação da Bella e do Edward, com exceção que a Mel não é uma personagem sem sal e por vezes infantil como a Bella.
Não, não temos vampiros que brilham e nem lobisomens peladões. Ao invés disso, temos lindos elfos e magos, um mundo de luz e outro de sombras além de uma paisagem de tirar o fôlego.

Uma narrativa em primeira pessoa muito bem escrita, com um universo fantástico totalmente novo e encantador. Personagens envolventes, um romance de tirar o fôlego e um cenário paradisíaco. "Cores de Outono" termina com um ótimo gancho para o próximo livro, além de ter me deixado com várias suposições para "Sombras da Primavera", já que nem todas as minhas perguntas foram respondidas.

O livro ainda conta com uma playlist internacional e uma receita de brigadeiro como deu pra ver na foto acima, além de uma espiadinha no próximo volume da trilogia (que eu preferi nem ler, porque sei que vou surtar de curiosidade *u*).
Mesmo tendo feito uma resenha enorme, ainda sinto que não consegui falar tudo que queria a respeito do livro. Eu sei que o post ficou com vários quotes, mas foi uma missão quase impossível escolher os meus favoritos, já que eu gostei e marquei tantos como também devem ter visto nas fotos, haha *u*. Ah, e peço desculpas pela qualidade de algumas fotos... só fui notar que a lente da câmera estava suja quando eu estava editando as fotos \:

Enfim, "Cores de Outono" entrou para os meus favoritos <3 e indico a todos que curtem fantasia, romance e uma pitada de mistério (;

"- O outono pode parecer triste, mas se você souber onde procurar ele pode surpreender com cores magníficas (...)" 
(Página 203)

16 comentários:

  1. Louca! QUERO AGORA! Parece ser lindooo!
    Beijooos

    duasamigas-variosmundos.blogspot.com
    PS: FELIZ ANIVERSÁRIO!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não só parece, É lindo! u_u , tanto o trabalho gráfico do livro quanto a história em si. Realmente recomendado! ((((:

      Obrigaaaaaaaada! *-----*

      BEEEEEEEEEEEIJINHOS E VOLTE SEMPRE! :* <3

      Excluir
  2. Parece ser bem legal *-*

    '' Happy Birthday ''

    Beijoos...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E é sim! ^-^
      Muuuuito obrigada! (((:

      BEEEEEEEEEIJINHOS E VOLTE SEMPRE! :* <3

      Excluir
  3. Ohhh Rafa! UAU... Obrigada pela resenha MARAVILHOSA!!!!!!!!!
    E seus quotes, foram inéditos!!!
    ahahhaha Adorei saber que tirei seu fôlego no fim ahhahahha E, amiga, estou de mãos dadas com vc, HOMENS ALTOS , por favor!!!! ahahaha
    Sério, flor, obrigada pelo carinho ! MUITO MUITO MUITO SUCESSO para o "Inconstante controvérsia", prometo que vou caprichar em "Sombras"!!!
    Beijos Beijos Beijos
    Keila Gon

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu que agradeço por ter escrito uma história tão incrível e viciante! *u*
      confesso que foi uma missão quase impossível selecionar somente alguns... se dependesse de mim, a resenha teria um quote por linha u_u kkkkkkkk. Mas é claro que tirou! Estou quase tendo um troço de ansiedade para ler "Sombras" *.*
      SIIIIIIIM, MUUITO ALTOS! \o kkkkkkkkk
      Awwwn, que isso! Eu que agradeço <3 , vou estar contando com isso u_u kkkkkkk.

      BEEEEEEEEEEIJINHOS E VOLTE SEMPRE! :* <3

      Excluir
  4. Ahhhh Feliz aniversário!!! Como assim vc nem fala que foi seu aniversário???? ahahhahhah Olhos turquesa e dourados para alegrar sua noite e seu dia!!!
    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é né? >< kkkkkkkkkkkkkkkkkkk.
      Muuuuuuito obrigada! <3

      Excluir
  5. Feliz Aniversário atrasado! haha
    Então, tenho realmente um bloqueio pra romances muito água com açúcar, uma por serem irreais demais e outra porque não tenho saco mesmo pra tanto frufru.IASHDIOSA Mas o Vincent me chamou atenção, gosto de homens com cara de mal. :3
    Anyway, quem sabe um dia eu leia. Mas tirando a questão de romance frufru, ela ficar em dúvida entre dois caras ME DÁ AGONIA. Porque eu tenho o DOM de torcer pro cara errado, sempre. Aí fico infeliz no fim do livro. AIDHSAOIDHIAO

    Beijo, Mari.
    http://papersblood.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. OOOOOOI MARI! QUANTO TEMPO! *O*
      ausidhiuahsdiuaiusd, muuuuito obrigada! <3
      sério? que pena \: . Eu só não curto romances muito melados quando não são bem escritos, sabe? aí fica aquela coisa meio forçada ~.~ mas graças a Deus esse não foi o caso de "Cores" \o.
      E quem não gosta? u_u ashdihausidhuaishdiuasd
      Ah Mari, mas nem tem disso. Tipo, no começo do livro até rola uma quase indecisão, mas até mesmo a personagem sacou que o Vincent é melhor né? afinal, bad boys são irresistíveis u_u asdhaiushdasiuhdiuasd. A dúvida fica mesmo pro Vincent, mas não em relação a um triângulo amoroso, e sim da relação em si, sabe?
      Enfim, acho que mesmo tendo esses pontinhos e sendo um romance meloso, "Cores" iria te agradar... mas eu entendo seu lado u_u ahsiudhashdia. Quem sabe um dia você dá uma chance né? você pode se surpreender [[;

      BEEEEEEEEEEEEEEIJINHOS E VOLTE SEMPRE! :* <3

      Excluir
  6. Não gosto desse tipo de livro, mas sempre me divirto com suas resenhas U_U que são muito bem humoradas ahsuahsuhaus õ/
    E caraca a playlist dela demonstra que ela tem um ótimo gosto musical tirando algumas musiquinhas dali U_U Ela poderia ter feito uma playlist de musicas nacionais tmb ¬¬ Mas enfim, parabéns pela resenha xD

    www.umomt.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que pena \: mas cada um tem um gosto literário né? u_u
      Aaaah, que bom saber disso! ashdiuahsduahsiudhaisuhdiuaiud
      Eu também gostei! Confesso que não conhecia a maioria das músicas até então, mas agora entraram para a minha playlist u_u. Quanto a playlist nacional eu já não posso dizer muito, já que meu conhecimento/gosto por músicas nacionais é quase inexistente, então... asuhdiuahsdiuasdi.
      Muuuuito obrigada! ((((:

      BEEEEEEEEEEEEEIJINHOS E VOLTE SEMPRE! :* <3

      Excluir
  7. Estou lendo esse livro e estou AMANDO. ♥ Não li a resenha porque fiquei com medo de me decepcionar com alguma coisa, haha !

    Beijos
    www.procurei-em-sonhos.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É super apaixonante, né? *u*
      aaah imagina! Minha resenha foi tão positiva, poxa! ): uashiduasdhahsid. Mas entendo o seu lado. Quando terminar de ler "Cores" volte aqui e veja se concorda com a minha opinião ^-^

      BEEEEEEEEEEEIJINHOS E VOLTE SEMPRE! :* <3

      Excluir
  8. Ai que lindo, queria eu ganhar esse livro com autografo *-*

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E quem não quer, não é mesmo? asudhaiushdiuahduiads. Sempre sonhei em ter um livro autografado, então imagina a minha felicidade com esse! *u* asiudhuaishduiasd.

      BEEEEEEEEEEEEEIJINHOS E VOLTE SEMPRE! :* <3

      Excluir


A opinião é livre, não pode nem deve ser violentada.
(Baltasar Gracián y Morales)